segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Cabo Verde de luto. Funeral de Cesária Évora é amanhã


A diva do amor cabo-verdiana Cesária Évora morreu sábado aos 70 anos na cidade de Mindelo devido a complicações respiratórias
Pretória (Canalmoz) – A cantora cabo-verdiana Cesária Évora será sepultada amanhã no Mindelo, sua terra natal. A Diva dos pés descalços vai continuar em câmara fria até às 07h00 do dia do funeral. O corpo será transladado para a residência familiar, onde permanecerá até ao meio dia.
O corpo será velado no Salão Nobre da Câmara Municipal de São Vicente. À tarde, pelas 16h00 o cortejo fúnebre parte para o cemitério.
O governo de Cabo Verde decretou dois dias de luto nacional. O dia das cerimónias fúnebres foi decretado tolerância de ponto em Mindelo.
A bandeira nacional está a meia haste em todo território cabo-verdiano, em embaixadas, consulados e outras representações de Cabo Verde no exterior.
Cesária faleceu sábado, com 70 anos, na cidade de Mindelo. Sofria de complicações respiratórias.
De acordo com a “Rádio Nacional de Cabo Verde”, citada pela VOA, a cantora sentiu-se mal por volta das 7h da manhã quando foi levada de urgência para o Hospital Batista de Sousa vindo a falecer pouco depois das 11h.
Cesária Évora nasceu a 27 de Agosto de 1941. Tem 24 discos editados, entre originais ao vivo e em parceria com outros artistas de vários países.
Cesária Évora permanece como o maior expoente da morna. Iniciou a sua carreira mundial no início dos anos 90. Era a voz de Cabo Verde. Encantou as plateias através de todo o planeta. Actuou nos palcos mais conceituados do planeta.
A 23 de Setembro deste ano, em Paris, anunciou que ia deixar os palcos para sempre por causa da sua saúde.
O seu último espectáculo em França foi em Abril no “Grand Rex”. Depois cancelou todos os concertos.
Foi sujeita a várias intervenções cirúrgicas. Em Maio de 2010, obrigaram-na a abandonar os palcos.
Cesária Évora tornou-se conhecida do grande público em 1992, com o lançamento do seu terceiro álbum, “Miss Perfumado”, e dois concertos num Teatro de Paris.
Apesar de tardio, o sucesso internacional de Cesária, cuja carreira começou há 50 anos, jamais parou. A sua célebre canção “Sodade” assegurou a sua notoriedade.
Em 1999, Portugal, agraciou Cesária Évora com a medalha da Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.
Em 2009, o presidente francês Jacques Chirac distinguiu-a com a medalha da Legião de Honra de França.
O galardão “Les Victoires de la Musique” para melhor álbum foi-lhe atribuído por duas vezes: em 2000 pelo álbum “Café Atlântico” e em 2004 pelo álbum “Voz d’Amor”.
Em 2003 Cesária Évora foi premiada com um “Grammy” atribuido ao disco “Voz d’Amor”.
Em Dezembro de 2010, no Rio de Janeiro, o Presidente Lula da Silva condecorou Cesária Évora com a medalha de Ordem do Mérito Cultural 2010.
Cesária Évora foi distinguida também com o prémio carreira na gala do “Cabo Verde Music Awards 2011”. (Redacção/ VOA)