Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Indemnizações milionárias num banco falido!!!



Indemnizações milionárias num Banco falido! Como é que isso é possível? Expliquem-me porque eu não compreendo.

Jorge Jardim Gonçalves, Paulo Teixeira Pinto, Filipe Pinhal, Christopher de Beck, António Rodrigues, Armando Vara, Santos Ferreira, Vitor Fernandes, António Ramalho e Nuno Amado, são alguns dos responsáveis pela miserável performance do Millennium BCP mas bem recompensados por isso, pois só à sua conta, o cofre do Banco ficou aliviado em várias dezenas de milhões de euros.

http://direitodeopinar.blogspot.com 

Se o Banco Millennium BCP esteve avaliado em mais de 15 mil milhões de euros e agora vale aproximadamente um décimo; se boa parte dos seus produtos dão prejuízo aos clientes, estando a  porcaria das acções na primeira linha, com milhares de clientes "agarrados" e alguns arruinados; se o BCP sai da Grécia com prejuízos acumulados de mais de 2,4 mil milhões de euros, como é possível que os actuais e os anteriores Executivos usufruam de remunerações milionárias e tenham beneficiado de indemnizações exageradamente escandalosas!

Então essas pessoas que fizeram negócios de altíssimo risco, criminosamente ruinosos; que levaram o Banco à falência e que desgraçaram a vida de milhares de clientes, são recompensadas pelos maus serviços que prestaram?

Uma empresa que não dá lucros não pode distribuir benefícios. Se o Millennium BCP não gera mais valias para os seus clientes e reduziu o seu valor patrimonial em cerca de noventa por cento, os administradores, em vez de receberem ordenados, indemnizações e reformas milionárias, deviam ser responsabilizados e penalizados por esses maus resultados mas nunca ser recompensados pelo seu mau trabalho, como infelizmente acontece neste País suigeneris.

Neste País pagam-se ordenados milionários a qualquer sujeito desavergonhado que tenha jeito para a vigarice e arte para levar as Empresas à falência!

Não entendo estas regras e não me conformo com elas.

http://direitodeopinar.blogspot.com/2013/04/indemnizacoes-milionarias-num-banco.html