Português encontra-se detido á mais de um ano e está no Centro de Detenções do km 32_ tem trinta e poucos anos, e chama-se NUNO FILIPE OLIVEIRA e está doente, a entrar em estado de demência.
Família não tem posses para ele regressar a Portugal.
Apela-se á Embaixada Portuguesa que faça alguma coisa pelo homem que certamente o nosso país de alguma forma o empurrou para lá. In Zilia Domingos. Portugueses em Angola. Facebook

segunda-feira, 6 de Dezembro de 2010

Prédio da Cuca: Regime atribui culpas a escavações da obra do mercado do Kinaxixi


Segunda, 06 Dezembro 2010 08:42

Luanda - De acordo com a angop, que ate ontem não noticiava o assunto, uma equipa técnica, composta por especialistas em arquitectura do Governo Provincial de Luanda (GPL) e do Laboratório Nacional de Engenharia do Ministério das Obras Publicas e Urbanismo vai hoje, segunda-feira, proceder a avaliação da existência de fissuras, no conhecido prédio da Cuca, no município da Ingombota.

Fonte: Angop

Equipa técnica avalia estado físico do prédio

Em declarações à Angop, o porta-voz do GPL, Ladislau Silva, disse que apesar de um certo pânico, por parte dos moradores, devido a uma alegada inseguraça nas estruturas físicas do edifício, ainda não se tomou qualquer medida de evacuação.

De acordo com o responsável, caso seja verificada qualquer fissura nas estruturas físicas do edifico, o Governo Provincial de Luanda vai tomar medidas urgentes, no sentido de salvaguardar a segurança dos seus moradores.

Entretanto, o porta-voz do Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB), Faustino Sebastião, desmistificou a existência de um lençol freático debaixo do edifício, acrescentando que o desmoronamento de terra, que se verificou na zona, na tarde de domingo, deve-se as escavações da obra de construção na zona do ex-mercado do Kinaxixi.

De recordar que devido ao clima de pânico, por parte dos moradores, responsáveis do GPL e do SNPCB estiveram, na noite de domingo, no local.

No edifício, com cerca de 12 andares existem 106 apartamentos.

Sem comentários:

Enviar um comentário