quarta-feira, 13 de abril de 2011

Presidente José Eduardo Dos Santos Alvo De Conspiração Interna


Lisboa – Esta a ser levantada fortes suspeitas segundo as quais dentro do regime angolano, há uma corrente que conspira contra o Presidente José Eduardo dos Santos. O grupo enveredara agora pela campanha de desinformação destinada a criar embaraços a imagem do Chefe de Estado.

*C.A
Fonte: Blog/Carlos Alberto Klub-K.net
O rosto visível da campanha é José Ribeiro
O rosto visível da campanha é José Ribeiro, o director do Jornal de Angola. O mesmo aproveita o facto de o líder angolano não ler com rigorosidade as paginas do Jornal de Angola, e usa esta publicação a titulo pessoal para fazer interferências em assuntos de Estado da competência exclusiva da Presidência da Republica e do Ministério das relações Exteriores.

Ao aperceber-se que o Jornal de Angola é visto como a voz do governo angolano, José Ribeiro lançou uma campanha de agitação em favor do conflito armado levado a cabo ao presidente derrotado da Costa do Marfim, Laurent Gbagdo, para confundir e dar entender ao mundo que com os seus artigos editorias, se esta diante de uma posição do presidente José Eduardo dos Santos. José Ribeiro passa por cima do Ministério das relações exteriores que numa entrevista do seu porta voz a RFA, declarou que Angola defende a posição da União Africana que foi em reconhecer o Presidente Outtara que foi eleito naquele país, ao qual Ribeiro insulta e trata como “golpista”.

De realçar que foi uma corrente idêntica ao qual Ribeiro faz parte que induziu o presidente José Eduardo dos Santos a cometer o erro de ter falado durante uma reunião com o corpo diplomático em Angola que Laurent Gbagdo era Presidente constitucional acrescidas a outras argumentações que foram objectos de criticas dentro do próprio regime angolano.

Na edição desta Quarta-Feira, José Ribeiro lançou um editorial violento contra as Nações Unidas, dando a entender que o que ocorreu na Costa do Marfim foi um golpe de Estado. Fez acusações irresponsáveis contra a comunidade internacional e num outro artigo manipulado alega que o povo naquele país esta nas mãos dos “rebeldes”.

De recordar que dos directores dos órgãos de comunicação públicos, José Ribeiro é o único que foi apanhado a fazer esta campanha contra o Presidente. A Angop opta por artigos que vão de acordo com a realidade dos factos. A TPA idem e tem passado reportagens mostrando os militares da Costa do Marfim a jurarem fidelidade ao novo Presidente, o que contraria com a versão que José Ribeiro do Jornal de Angola pretende fazer passar como posição do estado angolano.

A Ministra da Comunicação Social é vista como não podendo fazer nada visto que a corrente de José Ribeiro usa o nome de elementos do gabinete presidencial da linha de José Mena Abrantes e Aldemiro Vaz da Conceição para dar a entender que goza da proteção destes. A corrente de Ribeiro quando é advertida a não meterem em assuntos de Estados insinuam que alguns textos são escritos por Mena Abrantes e Aldemiro. Sabe-se que Aldemiro e Mena Abrantes são pessoas responsáveis e já mais usariam a linguagem ruasseira dos editorias do Jornal de Angola e nem muito menos patrocinariam José Ribeiro para encabeçar uma campanha para enterrar o bom nome do Presidente José Eduardo dos Santos.