sábado, 9 de março de 2013

Valentina Guebuza, a “Isabel dos Santos” moçambicana




Lisboa -  É discreta, descrita por vezes até como humilde, mas poderosa e respeitada pelo ser poder político e empresarial em Moçambique. A fortuna que Valentina Guebuza vai constituindo, à sombra da família presidencial moçambicana, faz dela como que uma “Isabel dos Santos moçambicana”, que já chamou também a atenção da revista dos milionários, a Forbes.

*Guilherme Dias
Fonte: Lusomonitor.net
Club-k.net

Dos jogos de futebol à gestão de várias empresas do universo Guebuza, Valentina da Luz Guebuza, segundo a Forbes, representa uma nova lista de empreendedores: “jovem, profissional e rica”, uma “história de sucesso”. Em artigo recente, a revista norte-americana apelida-a de “princesa milionária”. Não tem filhos, não é casada e é a segunda filha do político mais importante do país, o presidente Armando Guebuza.

Valentina da Luz Guebuza gere várias empresas da família com destaque para a Focus 21 que lidera desde 2006, altura em que o seu pai já era Presidente. Estudou Engenharia Civil na África do Sul e durante esse período, trabalhou num restaurante. No último ano de curso, conta a filha Guebuza à Forbes, iniciou uma consultoria numa empresa de Engenharia Civil e foi aí que ganhou experiência prática na área.

O seu reconhecimento chegou a fóruns internacionais como a participação na última reunião do G20 e no “Fórum Jovens Líderes do Amanhã”.

Em comum com Isabel dos Santos, recentemente classificada pela Forbes como primeira bilionária africana, tem a linhagem presidencial, em economias cada vez mais importantes no cenário internacional devido à abundância de recursos energéticos, e estarem a construir um império com recorrente ligação aos negócios dos seus progenitores.

Negócios em família

É notória e, talvez, inevitável a referência feita a Armando Guebuza ou ao facto de o mesmo estar já no poder aquando da ascensão do poder económico da segunda dos seus quatro filhos. O Presidente tem, de acordo com o CIP  Moçambique, estudos equivalentes ao sétimo ano do liceu, tendo apostado na formação dos seus filhos e de Valentina, em particular, para assegurar as estruturas das lides empresariais da família.

O Africa Monitor Inteligence (www.africamonitor.net) aponta o ano de 2007 com o marco qualitativo e quantitativo da sua vida empresarial, tornando-se accionista da Beira Grain Terminal S.A. Juntaram-se a ela nesta parceria instituições como os CFM – Portos e Caminhos-de-ferro de Moçambique, EP. Em 2007, igualmente, entrou na Cornelder de Moçambique, SARL, cujo accionista maioritário é o seu pai.

O AM Inteligence, adianta que em 2008 constituiu a Crosswind Holdings, S.A, uma sociedade cujo objecto social principal é a construção e desenvolvimento de infraestruturas. Tratou-se de uma sociedade com o seu irmão Mussumbuluko e o tio José Eduardo Dai – primo em primeiro grau de Tobias Dai, irmão da primeira dama, Maria da Luz Dai Guebuza – e com as empresas Rachana Global Lda e Focus 21

Sempre com o tio Dai, criou também m 2008 a Servicon Lda, direccionada para a actividade mineira. A Orbttelcom Lda nasceu de uma sociedade feita com o irmão Mussumbuluko e Carlos Nicolau Junior e, mais uma vez com o tio Dai. Esta empresa opera nas áreas da informática e de telecomunicações. Com o tio José Dai volta a formar sociedade em 2009 para a Moçambique, Desenvolvimento & Investimentos Lda, que pouco tempo antes havia sido constituída por Voo Chong Min e Lilla Szakmeister.

Valentina da Luz Guebuza, a segunda de quatro irmãos, levou a Focus 21 a ter negócios lucrativos nos últimos anos apesar de este grupo existir há 20. O grupo Focus tem, segundo a Forbes, interesses em áreas como a comunicaçao, consultorias, logística e a exploração mineira.