quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Enya, a voz e os sons do paraíso






Enya nasceu Eithne Ni Bhraonain, no dia 17 de maio de 1961, em Gaoth Dobhair, Irlanda. Hoje completa 50 anos.
Antes dos 20 e depois de anos de estudo da música erudita, Enya ingressou no grupo Clannad, formado por seus irmãos, tios e irmã. Enya decidiu pela carreira solo em 1982. Os primeiros trabalhos musicais incluíram a trilha para The Frog Prince e um documentário na BBC.
Seu álbum Watermark, que foi lançado em 1988, a levou ao reconhecimento internacional, e Enya ficou conhecida por seu som único, que foi caracterizado por camadas de voz, melodias folk, cenários sintetizados e reverberações etéreas.
Ela continuou fazendo sucesso constante durante os anos 90 e 2000. Seu álbum de 2000, A Day Without Rain, obteve vendas recordes (mais de 15 milhões) e foi o álbum mais vendido por uma artista feminina em 2001. Enya é a artista solo que mais vende e, do país, é oficialmente a segunda maior exportadora musical, depois da banda U2. Ao todo, Enya vendeu mais de 70 milhões de discos. Seu trabalho lhe rendeu, entre outras coisas, uma indicação ao Oscar. Ela é conhecida por ter cantado em 10 línguas diferentes durante sua carreira até agora. Enya é uma das artistas femininas que mais vendeu discos nos Estados Unidos, com mais de 26 milhões de cópias no país.
Enya comprou um castelo do século 19, o Castelo Ayesha (que em árabe significa flor), e o rebatizou de Castelo Manderley. Foi construído em 1840 por Robert Warren e chamava-se Castelo Vitória, em homenagem à coroação da rainha Vitória do Reino Unido. O castelo foi incendiado em 1924, mas em 1928 sir Thomas Power o restaurou e mudou o seu nome. Ele fica situado a 12 quilômetros de Dublin, em Killiney, onde ela vive.
Em homenagem ao talento de Enya, o asteróide 6433 recebeu como denominação o nome artístico da cantora, em 20 de junho de 1997. Diversos músicos já receberam esta homenagem, mas Enya é a primeira mulher e a única da Irlanda.




http://www.jornalnh.com.br/blogs/hot-club/320902/enya-aos-50-anos.html