Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

sábado, 4 de janeiro de 2014

Angola. Perfil do ministro, do Ministério da Energia e Águas, João Baptista Borges




Informação Pessoal
Data de Nascimento: 4 de Janeiro de 1964
Local de Nascimento: Luanda
País de Nascimento: Angola
Curriculum Académico
Licenciatura em Engenharia Electrotécnica, pela Faculdade de Engenharia da Universidade Agostinho Neto, República de Angola.

Curso médio de electricidade, pelo Instituto Politécnico Makarenko, República de Angola, 1983.
Curriculum Político e Associativo
Nomeado Ministro da Energia e Águas por despacho Presidencial em 2011;

Nomeado Secretário de Estado da Energia, em Fevereiro de 2010, no âmbito da reformulação da nova Constituição da República de Angola;

Nomeado por Despacho Presidencial, Vice Ministro da Energia em Outubro de 2008.

Curriculum Profissional
Presidente do Conselho de Administração da EDEL-EP-Luanda, de 2005 a 2008;

Director Geral Adjunto para a Área Técnica da EDEL-EP, de 2005 a 2008;

Director Geral Adjunto para a Área de Investimento EDEL, de 1992 a 1999;

Chefe de projecto de reabilitação da rede de distribuição MT/BT de Luanda, de 1991 a 1993.
Membro do Conselho de Administração da EDEL
http://www.minea.gov.ao/Institucionais/Perfil.aspx