Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Millennium BCP. Sr.ª Dr.ª que não apresenta contas das quantias que recebeu




Eu fiz um credito pessoal no BCP mas por motivos de desemprego deixei de poder suportar a prestação mensal que tinha e dirigi-me ao Gabinete de Sobre-Endividamento da Deco.

http://www.queixas.net/queixas/millennium-bcp/

Lá falei com uma jurista que me aconselhou a tentar negociar os vários créditos que tinha no momento de forma a poder pagar a todas instituições de credito.Eu concordei e foram feitas varias diligencias formais de poder negociar os famosos créditos.
Das varias instituições que foram contactas o BCP foi das poucas que nunca respondeu aos apelos da Deco.
O tempo passava, eu finalmente arranjei emprego e apressei-me a contactar o BCP, mas estes disseram.me através da linha de apoio ao cliente que aquele credito já não estava em poder deles e encaminharam-me para uma empresa com o nome: INTRUM JUSTICIA.
De seguida contactei com esta empresa e eles informaram-me que eram os responsáveis por receber as quantias dos créditos que estavam em incumprimento, manifestei as minhas intenções e eles facultaram-me o contacto da advogada responsável pelo processo.
Liguei para a Sr.ª em causa e foi negociado telefonicamente um montante mensal que iria depositar na conta dela.
Assim foi durante 18 meses mas fui agredido violentamente do qual ganhei lesões corporais serias e um maxilar inferior fracturado.
Estive parado vários meses e a minha esposa fez um telefonema para a advogada a informar o sucedido mas ela não estava e falou com o pai da Sr.ª.
Ela nunca me contactou o tempo passou, na verdade passaram anos até ao dia em que me vi confrontado com uma penhora de vencimento.
A Sr.ª não levando em consideração aquilo que já tinha pago executou o total da divida acrescentando os juros desde o inicio e mais as despesas judiciais.
Felizmente ainda tinha em meu poder as transferências que tinha feito para sua conta e procurei uma advogada para me poder defender da penhora de vencimento e apurar a divida.
Ela contactou a advogada do BCP em Maio passado mas até ao momento a Dr.ª do BCP não cumpriu com as promessas que lhe fez, nem tão pouco assumiu as transferências bancarias que recebeu.
Resumindo o BCP não quer negociar divida nenhuma, nunca quis, uma vez que nunca deu resposta à jurista da Deco e eu tenho provas disso, portanto penso que existe uma forma perversa e deliberada de ganhar mais dinheiro com o incumprimento da minha parte e começo a suspeitar da idoneidade da Sr.ª Dr.ª que não apresenta contas das quantias que recebeu