Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Portugal. Governo reforma urgências depois de 4 mortes




Paulo Macedo esteve no Parlamento. TIAGO PETINGA/LUSA

HELENA NORTE*
http://www.jn.pt

Em duas semanas, quatro doentes morreram nas urgências hospitalares, enquanto aguardavam assistência ou exames. Debaixo de fogo, o ministro anuncia reforma de serviços e contratação de profissionais.
No dia em que Paulo Macedo foi ao Parlamento responder à Oposição sobre a situação das urgências, foi conhecida a morte de dois doentes: uma em Setúbal, no passado dia 2 (mas só ontem divulgada), e outra, na segunda-feira, em Peniche. Estes dois casos somam-se à morte de um octogenário, no passado dia 27, no Hospital de S. José (Lisboa), e de um paciente de 57 anos, domingo, no Hospital de S. Sebastião (Feira).