quinta-feira, 10 de maio de 2012

Titica afinal não é a primeira a mudar de sexo em Angola



Lisboa – No seguimento da  matéria avançada dando conta que a  cantora Titica se tornaria na primeira figura transexual em Angola, após a operação cirurgia  que esta prestes a fazer, uma figura conhecedora do  assunto  reagiu  esclarecendo que a kudurista em referencia  afinal “ não é a única”. 

Fonte: Club-k.net
Candidata ao  miss  transexual 2012 na Tailândia
A primeira transexual angolana, segundo a fonte, chama-se  Imanni da Silva que é agora uma respeitada estilista, e atriz  a brilhar no mundo da moda na Inglaterra, país, onde vive a cerca de 11 anos.  Em 2011,  foi submetida a uma operação cirúrgica, na Inglaterra   para mudança de sexo. Em finais deste  ano ira concorrer  ao  concurso de miss transexual a ter lugar na Tailândia.

Imanni  da Silva tem  já  novos documentos passados  pelas autoridades britânicas em que foi alterado o seu gênero e o nome que agora se apresenta.  Entrou também em contacto com a Embaixada de Angola em Londres para o mesmo efeito e estes a terão  sugerido a deslocar-se a Angola para “tentar” ver a possibilidade da mudança dos documentos angolanos.

A famosa modelo  deverá chegar ao país dentro de poucos meses para tentar, e pensa também avançar com um programa de palestras e seminários visto que há ainda sectores na sociedade que se mostram intolerante quando as diferenças. 
 
Sob o titulo “Transsexual angolana no mundo da moda e das artes” a figura que alertou sobre o assunto ao Club-K, fez uma apreciação descrevendo como o que mais lhe chamou atenção na modelo e que por outro lado incentiva o debate no sentido de educar a sociedade angolana.

Íntegra da apreciação:
“Sou estudante de jornalismo em Londres  e sempre me fascinou o mundo das celebridades e obviamente como qualquer e bom jornalista o bizarro , diferente e  mesmo chocante interessa bastante.”

“Depois de ter  despertado um interesse ou melhor fascínio pelo tema transexualidade  graças ao furacão dos anos noventa  ROBERTA CLOSE cuja historia de vida fez com que edições da CARAS Portugal esgotassem nas bancas naquele país.  Fascínio  sempre,  apurar os fatos nem por isso até  que recentemente ouvi falar em LEA T mais uma transexual brasileira que fotografou ao lado de KATE MOSS  e participou em diversas campanhas e revistas de moda.”

“Enfim, na brincadeira disse pra mim mesma que curioso seria se o mesmo acontecesse conosco angolanos. E não faltou muito para que numa festa durante a semana de moda em Londres me tivesse cruzado com uma mulher de chamar atenção até  ao cego. Perguntei-me varias vezes se não a conhecia de outros carnavais,sim claro em outras festas e eventos também, mais depois de muito pensar lembrei-me na controvérsia causada em 2006 com um artigo  sobre um concurso de beleza Miss Gay internacional do qual Angola saiu vencedor.  Era ela  e sem hesitar  aproximei-me e depois das formais apresentações  apaixonei-me por tal figura, simpática e com uma beleza única. Com 1’90 de altura graças aos seus sapatos que sempre a acompanham e de um corpo e elegância fora de serie IMANNI DA SILVA com toda naturalidade do mundo conversou abertamente sobre sua transexualidade pois ela acredita que tal deve ser debatido  e que a sociedade deve receber mais informação sobre  o assunto.”

“Durante a conversa fiquei a saber que ela iria  desfilar no dia seguinte para um criador de alta costura de origem libanesa ZIAD GHANEM e gentilmente fui convidada a comparecer. Ansiosa e com muita expectativa vejo-me a aplaudir com os demais  uma estrela que iluminava aquela passerelle com sensualidade, carisma e sem pudor por desfilar com um vestido de noiva preto,transparente tal como (ironicamente) veio ao mundo.  Apos o desfile corri para os bastidores e antes que perguntasse o obvio ela adiantasse em explicar que ela e o criador concordaram de que a  mais recente mudança na sua vida fosse celebrada ao exibir o resultado depois de muita luta.”

“Depois de 12 anos na capital Inglesa onde trabalha como artista plástica e escritora  IMANNI decide de que e a hora certa para finalmente regressar a Angola pois acredita que tem muito a dar. Não recusa nenhum trabalho como modelo pois sempre foi um dos seus sonhos e sente-se privilegiada  e grata pela oportunidade e já se fala em participações em televisão e cinema.”

“Enfim depois de única experiência e de muito me beliscar pra ter certeza de que não era um sonho eu me perguntava se o pais estava preparado para tal desafio,pois para alem de  um ser humano cheio de substancia e talento, acima de tudo e um verdadeiro mulherão de parar o transito.”