Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Como Lidar Com o Ataque de Um Cachorro


Quem já não passou pela seguinte situação: você está a pé ou de bicicleta pelas ruas do bairro quando, de repente, um cachorro bravo aparece. Ele começa a latir e a rosnar; talvez comece até a sair correndo atrás de você. Quem diria que o melhor amigo do homem representasse perigo. Até mesmo cachorros de pequeno porte são uma ameaça quando estão nervosos, e qualquer cão é capaz de causar feridas dolorosas ao morder. Apenas no Estado de São Paulo, a cada hora uma nova vítima é atendida em um posto de saúde por causa da mordida de um cachorro. Quase metade das vítimas é formada por crianças, e as partes afetadas são geralmente o nariz, boca e bochechas. Em casos mais graves, é necessária uma cirurgia reconstrutora do rosto. Se um cão atacar você ou seu filho, a sua reação pode ser a diferença entre conseguir escapar ileso ou sofrer lesões sérias. Pode ser até mesmo a diferença entre a vida e a morte.
http://pt.wikihow.com/Lidar-Com-o-Ataque-de-Um-Cachorro
Previna-se contra os ataques. A maioria dos incidentes ocorre por negligência do dono, treinamento que estimula a agressividade do animal ou por que o bicho foi provocado. Infelizmente, sempre haverá donos negligentes e cruéis no mundo, então o melhor a fazer é estar preparado. E uma das coisas mais importantes para se ter em mente é nunca, jamais deixar qualquer animal bravo. Ensine seus filhos sobre esse assunto.
  •   Evite sorrir para o cachorro. Você pode estar tentando ser simpático com o bicho, mas ele vai interpretar seu ato de mostrar os dentes como preparo para uma briga.
  • Cães acorrentados ou presos são geralmente mais agressivos, então é melhor manter distância deles.
  2
Fique atento a sinais de agressividade. A maioria canina não é agressiva - com exceção de certas raças, e geralmente estão sendo apenas curiosos ou defendendo o seu território. É importante saber quando um cão está só brincando e quando ele está sendo agressivo de verdade. Vale lembrar que qualquer cão de médio e grande porte pode ser perigoso (labrador, poodle, terrier, etc), então não ignore os sinais que o bicho dá só porque você acha que ele é “bonzinho” ou inofensivo.
  •   Se o animal se aproxima de você com o corpo curvado, é porque não vai atacar. Mas se ele estiver ereto e firme (cabeça, ombros e quadris alinhados), é porque uma mordida está à vista.
  • Se o animal estiver dando pequenos pulos, como se estivesse galopando, é porque quer brincar e está apenas curioso a seu respeito. Mas se ele começar a correr determinadamente em sua direção, problemas à vista.
  3
Faça uma barreira entre você e o cachorro. Essa tática é muito útil em um ataque. E nunca se mostre hesitante, ou o animal vai entender essa atitude como fraqueza da sua parte. Se o cão já está mostrando os dentes, é porque as chances de desistir do ataque já são pequenas. Use seu sapato, guarda-chuva ou qualquer coisa por perto que possa ser usada para evitar que os dentes do bicho cheguem até você.
Mantenha a calma. Você já deve ter ouvido falar em como os animais conseguem sentir quando estamos com medo deles. E isso é verdade. Se você entrar em pânico, o cachorro vai se sentir mais confiante na hora de atacar ou seu descontrole vai fazer com que ele veja você como uma ameaça. Faça de tudo para evitar essas duas hipóteses, caso contrário, uma mordida que vai deixar sequelas é quase certa.
  •   Tenha o controle da situação. Os comandos “Senta!” ou “Deita!” podem interromper o ataque por alguns segundos, o suficiente para você conseguir se distanciar um pouco.
  • Nunca, jamais corra. Correr desperta o instinto predador do animal, que é perseguir e pegar a presa. Você vai fazer com que o cão morda você, mesmo que no começo ele estivesse só brincando. Além disso, um ser humano não consegue correr mais rápido do que um cachorro. Até mesmo de bicicleta.
  • Fique em uma posição que não represente ameaça para o animal. Se você encará-los nos olhos com a cabeça erguida, os cães vão interpretar essa postura como um aviso de que você vai atacá-los. Ao invés de ficar na frente do bicho, fique mais na lateral dele e use sua visão periférica (com o canto dos olhos). Essas ações vão mostrar a ele que você não é uma ameaça. Se puder, dobre os braços bem devagar para proteger as mãos. Se a situação já está tensa demais para fazer movimentos grandes, pelo menos mantenha os braços ao lado do corpo e feche as mãos para proteger seus dedos. No mundo canino, virar para o lado significa que você não está disposto a brigar.
  • Mantenha-se na posição de “Não sou uma ameaça” mencionada acima. Os cães não conseguem manter o foco de atenção por muito tempo. Em muitos casos o cachorro late por um tempo e depois perde o interesse e vai embora. O segredo é não parecer ameaçador para o animal e não abrir suas mãos e nem os braços, frequentemente alvos vulneráveis às mordidas. Seguindo essas regras, você aumenta suas chances de fazer com que o bicho apenas cheire você e depois vá embora.
  • Se você ficar parado e proteger seu rosto, peito e garganta (posição curvada com os braços cruzados e mãos fechadas sobre o peito, com o queixo encostando no peito, pernas dobradas - pense naquele inseto chamado “bicho-bolinha”), o cachorro vai conseguir morder apenas as áreas do corpo onde a pele é mais grossa. A pior coisa a se fazer quando se está levando uma mordida é puxar a parte atacada. Isso vai fazer com que a ferida fique muito pior - como um pano rasgado. Quanto mais você puxa, maior o estrago. Mas caso o cão mesmo comece a puxar a pele para causar mais estragos, é preciso tomar medidas mais drásticas. Veja mais dicas abaixo.
  • Em último caso, quando é a sua vida contra a do animal, você deve lutar, mesmo que isso signifique a morte do cachorro. Se a única forma de escapar é fazendo ele soltar a parte mordida, use seus joelhos e cotovelos e apóie todo o peso do seu corpo na garganta ou costelas do bicho, mantendo o rosto o mais longe possível da boca dele. Dessa forma, pode-se quebrar os ossos do cão.
  • Caso prefira uma saída menos violenta, pode-se também montar no cachorro, concentrando parte do peso do seu corpo na nuca dele. Isso vai imobilizar o animal até que você consiga ajuda e evita que você leve mais mordidas.
  • A não ser que sejam treinados para atacar partes específicas do corpo humano, a maioria dos cães considera as roupas e objetos da pessoa como parte do corpo dela, contanto que estejam em movimento. Isso pode ser vantajoso para a vítima, que pode tirar a manga da camisa que está sendo mordida enquanto puxa a roupa com o outro braço, o que pode render segundos preciosos para planejar como sair da situação. Abrir um guarda-chuva entre você e o animal vai confundi-lo e fazer com que ele ataque o objeto antes de partir para cima de você. O guarda-chuva também é eficiente na medida em que o animal tende a morder o meio do objeto ao invés das pontas, e perde tempo tentando encontrar um ponto que permita uma mordida firme.
  • Caso esteja enfrentando uma matilha de cães, atacar os olhos, nariz e patas é mais eficiente do que lutar com um cachorro de cada vez. Em grupo, eles vão atacar juntos, e se sentirem que não vão conseguir ganhar a luta, desistem todos juntos. ENTRETANTO, se os animais não estão atacando você, NÃO ataque usando as mãos ou pernas a não ser que tenha tido um treinamento específico. Caso contrário, é certo que o bicho vai conseguir abocanhar um de seus membros. É mais eficiente jogar pedras ou outros objetos para desencorajar o ataque.
  • Se você flagrar um cão abocanhando a garganta de outro animal ou o membro de uma pessoa, pegue as patas traseiras dele e segure. Dessa forma você evita que ele puxe a parte mordida, o que pode causar estragos ainda mais sérios.
  • Colocar um pano na cabeça do animal pode fazer com que ele interrompa o ataque e vá embora.
  • Um jato forte de água ou até mesmo de ar pode espantar o animal.
  5
Se o cachorro estiver mordendo outra pessoa, jamais puxe a vítima para que a ferida não fique ainda maior. Procure um objeto comprido com o qual você possa acertar o cão na nuca. Para fazer o bicho soltar a vítima, você pode tentar introduzir um objeto comprido ou o seu próprio braço, horizontalmente, na boca do cachorro. Empurre na direção da garganta. Caso tenha tempo, enrole seu braço com uma peça de roupa antes.
  •   Não acerte a cabeça de um cachorro de grande porte. Eles geralmente tem crânios bastante espessos, e o ataque vai apenas deixá-los ainda mais bravos. Nesse caso, os únicos pontos fracos são a nuca e a região do nariz, que é bem sensível nos cães.
  6
Afaste-se devagar e deixe o local assim que o animal parar o ataque. Ficar parado e manter a calma são a melhor estratégia, a não ser que ele esteja mordendo você.
Após um Ataque
1.     1
Atenção aos ferimentos. Até mesmo um simples arranhão pode causar uma infecção. Procure um médico imediatamente para tratar das feridas e providenciar uma vacina antitetânica (caso você não tenha vacinado nos últimos 5 anos).
o    Pressione levemente a ferida para parar o sangramento. Use um pano limpo ou gaze esterilizada. Se a hemorragia persistir por vários minutos, é hora de ir a um pronto-socorro.
o    Lave muito bem a ferida. Use água morna e sabão para lavar com cuidado.
o    Cubra a ferida. Use band-aids ou ataduras esterilizadas.
o    Troque as ataduras e passe um anti-séptico pelo menos 1 ou 2 vezes por dia.
2.     2
Fique de olho em sinais de infecção tais como: vermelhidão, inchaço ou pus. Procure um médico se tiver qualquer um desses sintomas.
3.     3
Entre em contato com a polícia, o Centro de Controle de Zoonoses e, se possível, com o dono do animal - que deve ser processado por negligência. Você pode evitar que o cachorro ataque novamente e ver se o animal tem raiva.
Dicas
  • Ensine as crianças a não saírem correndo caso encontrem um cão bravo. “Nunca corra de um cachorro. Faça de conta que você virou uma árvore.”
  • Se você está acompanhado de uma criança no momento em que um cão ameaça atacar, pegue ela no colo bem devagar e não olhe nos olhos do animal, principalmente se for se abaixar para pegar a criança. Diga a ela para ficar quieta e calma e ficar olhando para você. Então comece a seguir os passos mencionados nesse artigo.
  • Use spray de pimenta. Tente acertar na cara do cão, mas se errar, não se desespere. O animal vai sentir o efeito mesmo assim, pois seu nariz é extremamente sensível. Da mesma forma que ele pode sentir quando você está com medo, ele também pode perceber o quanto você está determinado a se defender - a não ser que seja um bicho muito agressivo (raivoso, que sofreu muitos maus-tratos, etc).
  • As instruções contidas neste artigo são úteis para o ataque de um cão ou no máximo dois. Caso você seja atacado por uma matilha, a reação precisa ser diferente.
  • Se você estiver de bicicleta, desça e mantenha ela entre você e o cachorro. Ela vai funcionar como uma barreira de proteção. Se o animal está tentando morder você, use a bicicleta para acertar o cão. Segure-a pelo banco e pelo guidão para usá-la como uma arma. Só não a deixe escapar, ou perderá uma ferramenta de defesa valiosa.
Avisos
  • Se o cachorro que o atacou apresentar sintomas da raiva no período de 10 dias após o incidente, você terá que tomar várias doses da vacina anti-rábica. Se o cão não for mais encontrado, consulte um médico para avaliar a necessidade das vacinas, as quais devem ser tomadas o mais rápido possível depois do ataque.
  • Os donos de cães agressivos podem ser ainda muito piores do que os animais. Se você for obrigado a ferir ou a matar um cachorro que o atacou, fuja do bairro e chame a polícia o mais depressa possível.
  • Todo cachorro é diferente, e como todo animal, eles são imprevisíveis. As dicas deste artigo dão uma idéia geral de auto-defesa, mas é necessário fazer algumas adaptações dependendo de cada caso.
  • Cuidado ao usar spray de pimenta ou um cacete. As chances de acertar o animal antes que ele morda são pequenas. É muito mais provável que você consiga apenas deixá-lo ainda mais bravo.