sábado, 24 de agosto de 2013

Qual o futuro da banca em Angola? E qual o futuro de Angola?


GERENTE DO MILLENNIUM, PRESUNÇOSO, CRIA DIFICULDADE A CLIENTE DO BANCO!
Um indivíduo, que disse, chamar-se Giliano Santos, gerente do banco Millennium, sito na rua Comandante Gika, frente a Igreja Universal, dificultou rejeitando o levantamento de 100 dólares na aquela dependência bancária, a um cliente do mesmo banco.
Aconteceu na sexta-feira passada, 16 de Agosto, no fim da manha. Um indivíduo Angolano, Dirigente Sénior de uma empresa com grande reputação a nível do mercado nacional, dirigiu-se ao banco Millennium, a cima referido, para fazer o levantamento de uma quantia mínima de 100 dólares, para posteriormente realizar um acto de pagamento urgente, de sua querida filhota, que se encontrava na escola a sua espera. Seu espanto foi quando uma funcionária de nome Ângela Pires, como ela própria disse que se chamava, porque nenhum dos funcionários na altura faziam acompanhar com a respectiva identificação do nome e função publicamente visível, disse-lhe que não podia realizar tal operação, porque a assinatura do cliente em causa, não estar conforme aos arquivos do banco e, que ia pedir autorização ao gerente do banco. O cliente ainda tentou informar-lhe que dias antes, ela o aviou, um levantamento da mesma conta, e, com uma quantia superior a que estava em causa. A referida funcionária Ângela Pires, ironicamente, chegando mesmo a gozar com o respectivo cliente, respondeu, que o cliente em causa podia ser gémeo e que não tinha nenhuma fiabilidade. O cliente respondeu que era a mesma pessoa titular da conta, como constava o B.I. e que nunca tinha ouvido, nem lido, gémeos com o mesmo nome, e que era uma atitude de má-fé, e de excesso de zelo, porque de facto estava em causa uma quantia mínima, e que se podia fazer outro tipo de avaliação e, que de facto não tinha nenhum irmão, nem tão-pouco gémeo.
Foi então que o senhor gerente, Giliano Santos, arrogantemente, chegou ao balcão voltando a dizer ao cliente que não podia atende-lo, porque a assinatura não conferia. O cliente aborrecido, respondeu ao gerente Giliano Santos, que se de facto havia alguma desconfiança, podia chamar a polícia, para dissecar dúvidas, porque ele nada temia.
O cliente começou a perceber que estava a ser humilhado, até porque estava em causa, um levantamento mínimo de 100 dólares, e não havia necessidade de tanta desconfiança, porque dia anterior, o mesmo cliente, tivera levantado na mesma dependência bancária com a mesma funcionária, e da mesma conta, 200 dólares.
O cliente aborrecido e sem nada puder fazer foi embora.
Passado cerca de 1 hora o cliente recebe uma chamada deste número; 923167000, dizendo que era do Banco Millennium e que já podia levantar os tais 100 dólares.
Clara tremenda falta de respeito, e de consideração pelo cliente, possuidor do seu pequeno valor, que não pedia mas que o levantamento do seu dinheirinho.
O presunçoso gerente do balcão de nome Giliano Santos, indivíduo vaidoso, com características físicas bíceps gordurentas, indivíduo que demonstrou pouca intelecção mental e comportamental, manteve a sua atitude estúpida, mas na nítida intenção de humilhar, demonstrando que de facto a sua empáfia característica corporal sobrepunha-se a qualquer outra erudição lógica para ultrapassar uma situação razoavelmente simples!
Claramente que é publicamente conhecido o mau funcionamento de algumas instituições financeiras, talvez devido ao nível baixíssimo de selecção e recrutamento da qualidade de alguns funcionários. É importante que os responsáveis dos bancos saibam que têm funcionários de má qualidade, aliás dados policiais, dizem que, a maioria dos assaltos a bancos, estão envolvidos sempre funcionários das mesmas instituições financeiras, “Bancos”
Esta atitude de excesso de zelo e de presunção do referido gerente do banco Millennium, Giliano Santos, espelha que esta dentro da má selecção e recrutamento, feita pelo banco. Só assim se pode perceber tamanha tacanhez comportamental e corporal do referido indivíduo.

António Van-Dúnen dos Santos
In A Hora Jornal.Facebook