Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Hip-Hop ao rubro. Valete e Azagaia aquecem noite de Inverno


Maputo (Canalmoz) - A noite de sexta-feira última, em Maputo, foi de total êxtase musical, com a performance do rapper português Valete e do Dj Rider, numa iniciativa da Brand Lover´s, no âmbito do projecto “One Night Stand”, que conta com o patrocínio da mcel. Os rappers moçambicanos, Azagaia e Duas Caras, acompanharam o português no palco do Cocunut’s Live e deixaram os amantes de hip-hop e não só, em êxtase.
Valete chegou àquele palco com muita energia, espalhando o seu charme artístico pelos quatro cantos do espaço. Com o tema “Subúrbios” e depois “A noite”, conquistou as almas dos que para ali acorreram em massa, o que lhe valeu muitos aplausos da plateia, que entrou em transe com a sua mestria na arte do hip-hop.
Aliás, para além de dividir o palco com Adamastor e Bónus, seus companheiros, Valete juntou-se ainda ao rapper moçambicano Duas Caras e, mais tarde, ao mano Azagaia, para esquentar aquela noite fria de Inverno que se faz sentir nos últimos dias na capital do país, embora entretanto o calor tenha voltado.
Este rapper da lusofonia fez uma incursão pelos álbuns “Educação Visual” e “Serviço Público”, num perpétuo movimento e em vez de permanecer fixo, e deleitar-se com a tradição hip-hop que ele domina com perfeição, cantou e encantou numa mescla rítmica de intervenção social.

Sérgio Inglês, chefe de Marketing da mcel disse, a-propósito do evento, que “neste ano em que a mcel celebra 15 anos, quer apostar em algo diferente e acreditamos que o projecto “One Night Stand” é um mega-evento que fará com que as pessoas vejam a música de uma forma diferente”
“Queremos associar cada vez mais a marca mcel à juventude num conceito de ver, ouvir, tocar e sentir”, concluiu Inglês.
Para o jurista Isâlcio Mahanjane, apreciador da música, “a mcel sempre nos habituou a este tipo de iniciativa e devo dizer que está de parabéns. Valete é um músico com temas de intervenção social, daí que cabe a cada um de nós filtrar aquilo que ele nos traz e enquadrar na nossa realidade”.
Por seu turno, Victor Malapende disse que “a mcel está de parabéns por ter ido buscar um artista educador para nos acarinhar. Sinto que o público moçambicano não percebia o Valete e o seu lado educador, mas com esta actuação já se pode ver a dimensão deste artista”.
Refira-se que o rapper Valete iniciou a sua actividade musical em 1997, tendo formado com o músico Adamastor o Canal 115 e mais tarde a Horizontal Records. Nesse mesmo ano e ainda com 16 anos, começou a ser convidado para as mix-tapes lançadas por Djs como Bomberjack e Cruzfader. Actuou com Canal 115 durante dois anos em vários concertos em Portugal, até que fez um interregno para se dedicar mais aos estudos.

Em 2002, regressou com o álbum “Educação Visual”, lançado de forma independente. Valete, que antes deste álbum era mais conhecido como um freestyle e battle mc, pode mostrar em “Educação Visual” uma linha de rap de cariz social que muitos não lhe reconheciam. (FDS/ Redacção)