Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

terça-feira, 19 de junho de 2012

Angola: Filipe Zau e Filipe Mukenga apresentam novo CD


 “Canto Segundo da Sereia O encanto” é o mais recente trabalho discográfico dos músicos angolanos Filipe Mukenga e Filipe Zau.
Por Pedro Dias | Luanda VOA
O novo álbum homenageia todos os marítimos e o contributo destes na luta para a liberdade dos angolanos bem como também os malogrados pais de Filipe Zau, Francisco Zau e Maria de Pina Zau, e ao falecido pai de Filipe Mukenga, Anacleto da Conceição Gumbe.

Musicalizado a partir de ritmos africanos, o álbum, um duplo CD com 24 temas, leva os ouvintes numa viagem transatlântica pelos sons e culturas de África, Europa e América Latina.

“Canto Segundo da Sereia O encanto” é considerado por Filipe Zau como uma história dentro de outra, contando narrativas da vida, o disco retrata ainda o dia-a-dia, os valores morais e culturais, a paz e seus feitos, assim como realça a importância dos direitos humanos.

Tal como aconteceu com o primeiro disco, “O Canto da Sereia o Encanto”, os seus autores pretendem adaptar o projecto ao teatro ou cinema.

Gravado na Rádio Vial, em Luanda, o CD, foi misturado e masterizado em França e Portugal. O disco tem, além das 24 canções, oito textos, escritos por Filipe Zau, e a gravação do noticiário transmitido pela Rádio Nacional de Angola a 4 de Abril de 2002, o Dia da Paz.